Fique a saber tudo sobre Instrumentos Financeiros

​​​​​​​​​​​​​​​​​​

​O que são Instrumentos Financeiros?

​No que toca ao processo de financiamento, os agentes excedentários (com recursos para financiamento) podem optar por aplicar os seus fundos num conjunto diferenciado de instrumentos financeiros, com diferentes características e que são transaccionados em distintos mercados financeiros.

Podemos definir os instrumentos financeiros como sendo contratos que dão origem a um activo financeiro (valor a receber) para uma entidade e a um passivo financeiro (valor a pagar) para outra entidade. Estes podem enquadrar-se consoante o tipo de mercado onde são transaccionados: os instrumentos do mercado monetário (bilhetes do tesouro, papel comercial e acordos de recompra), os instrumentos do mercado obrigacionista (obrigações), os instrumentos do mercado de capital (acções e unidades de participação em fundos​​​ de investimento) e os instrumentos do mercado de derivados (forwards, opções e swaps).

​“O princípio não é examinar o crescimento do património, mas sim examinar o crescimento do resultado que a empresa distribui”
Luiz Barsi
Investidor​


 

Como funcionam os Instrumentos Financeiros?​

"Instrumentos financeiros" são títulos financeiros, tal como os contratos financeiros. Isso porque o termo se aplica aos contratos que gerem um activo financeiro para um dos lados e um passivo financeiro ou instrumento patrimonial para o outro.

Ou seja, enquanto um dos envolvidos faz um pagamento, o outro o recebe.

Por isso, também são considerados instrumentos financeiros:

  • Títulos de capitais emitidos por sociedades de acções;
  • Títulos de dívida; e
  • Parcelas de capital ou acções de empresas que actuam com valores mobiliários.

     

Uma das categorias, existentes dentro dos instrumentos financeiros são os derivativos.

São considerados derivativos os que são resultado de algum produto primário.

Geralmente, estes são emitidos pelas empresas que buscam ampliar seu capital.

Um bom exemplo de derivativos são as acções e títulos de renda variável ofertados publicamente.

Isso quer dizer que o investimento escolhido por alguém é o instrumento financeiro de uma empresa.

Um detalhe importante a prestar atenção é que um derivativo terá o seu valor variável. Esta variação de valor será muito maior do que a sofrida por um bem ou outro tipo de instrumento financeiro. Isto porque os instrumentos financeiros derivativos estão ancorados a algo no qual se referenciam.

Vemos isso com acções do mercado de commodities. Se o preço do produto sofrer uma grande queda, as acções das empresas que os negociam tendem a cair. Se houver uma variação no seu valor de mercado, os derivativos sofrerão de forma mais intensa.​


 

BODIVA - Mercado Bilateral vs Mercado Multilateral

BODIVA  (Bolsa de Dívidas e Valores de Angola)

Uma bolsa é um mercado regulamentado "à vista", dotado de uma infra-estrutura (institucional e tecnológica) destinada a tornar possíveis transacções seguras e com custos reduzidos. Dito de outra forma, a bolsa é o mecanismo ou ambiente (físico ou virtual) onde instrumentos de investimento e de cobertura de risco são precificados e transaccionados.

 

As transacções na bolsa são feitas em dois segmentos, sendo estes:

 

Segmento Bilateral –  mercado bilateral ou de balcão organizado é aquele que se destina à negociação de instrumentos financeiros que não cumpram com todos os requisitos para admissão e negociação em Bolsa, ou seja são negociadas operações directamente entre as partes, ou seja, neste tipo de operações somente as partes conhecem os termos do contrato.

Segmento Multilateral – mercado multilateral ou mercado de bolsa é aquele em que todas as ofertas relativas a um mesmo valor mobiliário são direccionadas a um mesmo canal de negociação, ficando expostas à aceitação e concorrência por todas as partes autorizadas a negociar no sistema.

 

O mercado de bolsa por sua vez, encontra-se dividido por 4 segmentos:

  • MBTT Mercado de Bolsa de Títulos do Tesouro;
  • MBPO Mercado de Bolsa de Obrigações Privadas;
  • MBUP Mercado de Bolsa de Unidades de Participação;
  • MBA Mercado de Bolsa de Acções.

     

Ao passo que, o mercado de balcão divide-se em dois segmentos, nomeadamente:

  • MROV Mercado de Registos de Operações Sobre Valores Mobiliários;
  • Mercado de REPO (Recompra) é o mercado onde investidores com dinheiro disponível e investidores com pouca liquidez mas com activos financeiros (geralmente títulos de tesouro) encontram-se para celebrar um acordo de compra ou troca dos activos por tempo determinado a um preço acordado. Dito de outra forma, neste mercado, contratos de REPO são celebrados onde, como se fossem empréstimo de curto prazo, o corretor vende o título-objeto aos investidores e, por acordo entre as duas partes, os compra de volta logo depois, geralmente no dia seguinte, a um preço um pouco mais alto.)​


 Vídeo Recomendado

​​
Voltar ao Topo